Barragem explode e provoca inundação em região controlada pela Rússia

By Victor Rafael jun 6, 2023

Uma vasta extensão de regiões já se encontra submersa devido à inundação do rio Dnipro, deixando milhares de pessoas em uma situação crítica. A responsabilidade por esse incidente está sendo objeto de acusações trocadas entre Moscou e Kiev.

Nesta terça-feira, uma imensa barragem, construída durante a era soviética em Nova Kakhovka, no sul da Ucrânia, região controlada pela Rússia, entrou em colapso, resultando em uma gigantesca inundação. Tanto as forças ucranianas quanto as russas confirmaram a informação.

Segundo o Ministério do Interior ucraniano, em mensagem divulgada pelo Telegram, a barragem de Kakhovka explodiu, instando os residentes de dez localidades localizadas na margem direita do rio, bem como os habitantes de Kherson, a reunirem seus documentos essenciais e animais de estimação, desligarem a eletricidade e deixarem o local. Atualmente, cerca de 16 mil pessoas encontram-se na denominada “zona de risco”.

Diversos vídeos, amplamente compartilhados nas redes sociais, exibem uma série de explosões intensas ocorrendo ao redor da barragem de Kakhovka. Outras gravações, inclusive uma publicada pelo presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy, retratam a região sendo invadida pelas águas.

Através de uma mensagem no Twitter, Zelenskyy acusa os “terroristas russos” de serem os responsáveis por esse ataque. Diante dessa situação de crise, o presidente ucraniano convocou o Conselho de Segurança do país para coordenar ações.

Kiev alerta para o perigo de um possível acidente nuclear que está “aumentando rapidamente”, entretanto, a Agência Internacional de Energia Atômica afirma que não há risco imediato para o funcionamento da maior usina nuclear da Ucrânia.

A origem da explosão ainda não foi determinada. Em suas primeiras reações, Moscou e Kiev se culpam mutuamente pelo incidente.

A barragem, com 30 metros de altura e 3,2 km de comprimento, foi construída em 1956 no rio Dnipro como parte da usina hidrelétrica de Kakhovka. Além de fornecer energia, ela também abriga um reservatório de 18 km³ que supre água para a Península da Crimeia, anexada pela Rússia em 2014, e para a usina nuclear de Zaporízhia, também sob controle russo.

Related Post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *